Heurísticas de Nielsen: 10 regras para melhorar o design de interface

Agência Noise > blog noise  > Heurísticas de Nielsen: 10 regras para melhorar o design de interface

Heurísticas de Nielsen: 10 regras para melhorar o design de interface

A interface de um site ou de um sistema mal projetada pode influenciar diretamente na experiência do usuário. Para solucionar esse problema, o cientista da computação, Jakob Nielsen, propôs dez heurísticas para guiar o design de interface com o objetivo de proporcionar uma boa experiência ao navegar pelo ambiente virtual.

 

Antes de tudo, é preciso levar em consideração que o desenvolvimento e o design devem andar juntos para um resultado final que atenda às necessidades do usuário. Para entender melhor essa relação, explicamos cada uma das dez heurísticas de Nielsen, confira:

 

1.Visibilidade do estado do sistema

 

A visibilidade do estado do sistema nada mais é do que a capacidade dada ao usuário de se identificar, ou seja, o que há antes e depois de uma ação em execução.

 

Um exemplo simples da visibilidade do estado do sistema é o Youtube: no momento em que se está assistindo o vídeo de uma playlist, é possível visualizar na barra lateral os vídeos anteriores e os sequentes. Ou seja, desta forma o usuário é capaz de se localizar no sistema e acompanhar a trajetória naquele ambiente.

 

 

2.Equivalência entre o sistema e o mundo real

 

Falar a mesma língua do usuário é primordial para o sucesso da interação. No entanto, quando se fala em linguagem, isso vai além do idioma. Ela inclui também os símbolos usados no sistema, que precisam fazer parte do repertório do usuário para que seja de fácil entendimento.

 

 

3.Liberdade e controle do usuário

 

Manter o usuário com o controle de suas ações enquanto explora um sistema é uma premissa da heurística de Nielsen. Trata-se de uma opção de desfazer ações, uma vez que  não é raro que o usuário cometa um erro, por exemplo, ao deletar um arquivo e se arrepender na sequência. Por isso, há a opção de restaurá-lo direto da lixeira. Esse é um aspecto importante, oferecer ao usuário uma função “CTRL+Z” para desfazer equívocos.

 

4.Consistência e padrões

 

Na construção de uma interface é primordial que o usuário, ao mudar de página, mantenha-se em um ambiente familiar. Isso significa que é parte importante da construção do sistema manter a consistência entre as telas de uma aplicação. Desta forma, o usuário consegue se adaptar ao sistema e navegar por todas as páginas com base em um ambiente no qual já está habituado.

 

 

5.Prevenir erros

 

Alertar o usuário sobre um erro que ele pode estar cometendo é outro fator importante para a usabilidade. Isso pode ser feito com a utilização de caixas de diálogo que se abrem no momento em que se está realizando uma ação. Por exemplo, ao excluir um arquivo, o sistema em geral confirma realmente ele deve ser apagado, por meio de uma caixa de diálogo.

 

 

6.Reconhecer no lugar de relembrar

 

Imagine ter que decorar o percurso realizado em um aplicativo. Agora pense em como seria memorizar esse trajeto em todos os apps instalado no seu celular. Evitar que o usuário tenha que memorizar um passo a passo é importante para que ele possa realizar cada ação no sistema de forma intuitiva.

 

7.Flexibilidade e eficiência de uso

 

Um aplicativo ou sistema pode ser usado por uma infinidade de pessoas, desde as mais familiarizadas com o contexto online até pelas que apresentam alguma dificuldade em dominar a tecnologia. Por isso, é preciso desenvolver uma interface que atenda ambos os perfis de usuários, assim, é possível estabelecer diferentes níveis de complexidade. “Alt+Tab ou Ctrl+C e Ctrl+V” são exemplos de atalhos que permitem ao usuário mais experiente realizar tarefas mais rapidamente.

 

8.Estética e design minimalista

 

Quanto mais clean for a interface com a qual o usuário interage, melhor para o sucesso da ação. É muito importante manter apenas as informações que são de fato necessárias, as secundárias podem ser deixadas em segundo plano, usando menus e abas, por exemplo. Desta forma, a aplicação se torna muito eficiente no quesito transmitir informação aos usuários.

 

 

9.Recuperação em caso de ações erradas

 

Indicar ao usuário que ele está cometendo um erro para que ele possa reagir antes de que seja consumado é uma das heurísticas de Nielsen. Esse tipo de alerta pode ser observado, no momento de preencher um formulário em um site e se equivocar em um dos campos: ao tentar enviar o formulário, o site irá alertar o usuário de que existem campos incorretos e quais são eles.

 

 

10.Ajuda e documentação

 

Oferecer ajuda ao usuário em caso de dúvida é a última das heurísticas de Nielsen. Segundo ela, é preciso que sejam disponibilizados campos que solucionem possíveis dúvidas. Um exemplo disso, são as áreas de FAQs, nas quais disponibilizam-se os principais questionamentos com suas soluções.

 

Gostou do conteúdo? Siga nosso facebook e acompanhe os conteúdos e novidades em primeira mão.

No Comments

Post a Comment

Comment
Name
Email
Website