Opinião: porque você não tem como escapar da transformação digital

Agência Noise > blog noise  > Opinião: porque você não tem como escapar da transformação digital

Opinião: porque você não tem como escapar da transformação digital

Esses dias tivemos a ilustre visita do professor Clóvis de Barros Filho em nossa cidade e eu tive o prazer de ir à sua palestra muitíssimo bem acompanhada de minha mãe. Antes do professor começar o trabalho de nos deixar ao menos um pouco mais sábias do que chegamos, no entanto, houve um momento de surpresa onde um rapaz jovem subiu ao palco e disse que faria a abertura da palestra com uma pequena apresentação sobre Marketing Digital.

 

Um pouco surpresas com o tema – que destoava consideravelmente daquele que seria tratado na palestra oficial – ouvimos o que o rapaz tinha a dizer. Minha mãe é uma mulher jovem de 47 anos, presente nas mídias sociais, usuária assídua do Whats App, apaixonada por Netflix e jogadora compulsiva de Crazy Kitchen (sim, daquelas que ligam na sexta à noite e dizem: “Camila, me manda um livro de receitas aí…”). O que me surpreendeu foi que, mesmo tendo sua vida cercada pelo digital, ela se assustou um pouco com as novidades apresentadas pelo publicitário – que partiam de análises de Black Mirror e iam até o lançamento dos equipamentos de realidade aumentada do Facebook. A conclusão quase que instantânea de minha mãe foi: “Esse mundo tá muito doido. Eu não ligo pra essas coisas…”.

 

black mirror digital transformação

Cena do episódio de Black Mirror usado como exemplo na apresentação

 

Esse pensamento, na realidade, não tem nada de incomum… Convivo constantemente com pessoas que afirmam, quase orgulhosamente, não entrar nessa onda online e justamente por esse motivo serem imunes aos seus efeitos. A grande realidade, no entanto, é que essa opinião não é só equivocada como também envolve uma série de debates e análises sociais para ser validada. Uma coisa é você não fazer questão de ter um perfil no Facebook, outra é você ignorar que sofre as consequências de sua existência.

 

As relações humanas mudaram com a transformação digital – sejam elas pessoais ou profissionais e isso, em nenhum nível, quer dizer algo ruim. Uma readaptação social é necessária como foi em muitos outros momentos históricos. É importante ter em mente que a internet não é a responsável pelo afastamento das pessoas, pelas tragédias crescentes no mundo e pela a aniquilação de algumas áreas da economia – essa responsabilidade recai sobre as próprias pessoas. A internet é meramente ferramenta que dá força àquilo que uma sociedade é ou faz e oferece ao mundo a possibilidade de acompanhamento instantâneo dos acontecimentos sem limites de território.

 

No fim do dia a gente percebe que não importa o quanto a gente lute para afastar o digital, ele já deixou de ser possibilidade há muito tempo e hoje não é nada mais do que realidade. Que o equilíbrio continua sendo a resposta para tudo na vida e usar as ferramentas que temos para o bem pode fazer a diferença em escala mundial. A gente percebe que a minha mãe não estava errada: a sociedade tá doida, sim – mas tudo que a internet fez foi deixar isso assustadoramente claro pro mundo todo.

 

 

 

No Comments

Post a Comment

Comment
Name
Email
Website